/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

sábado, março 07, 2009

O peculiar humanismo seletivo da sra. Denise ou Como mandar para escanteio um falso humanista


Têm chegado aqui alguns comentários sobre o acontecido no Recife. Há os xingamentos de praxe, mas isto não é nada de novo neste blog. É bastante curioso como há tanta gente muito disposta a xingar quem é contra o aborto, quem é favorável à defesa da vida, e consegue perfeitamente olhar para o lado para o fato de que a cada aborto é uma vida humana que é brutalmente assassinada.

São estes os "humanistas" que temos de montão por aí. É, basicamente, o mesmo pessoal que é capaz de apoiar leis que protejam ovos de tartaruga enquanto acham normal que bebês concebidos possam ser elimados ainda no ventre de suas mães.

Vivemos dias estranhos realmente. Muita coisa é explicada pela cultura de massa e pela influência da mídia na cabeça de tantos. É por isto que está havendo um covarde linchamento moral sobre a pessoa do excelente arcebispo de Olinda e Recife, D. José Cardoso Sobrinho. Qual o crime do arcebispo? Apenas este: tentar de todas as formas que lhe foram possíveis evitar que o aborto dos gêmeos fosse feito.

Infelizmente, ele não conseguiu. Foi derrotado? Felizmente, não. Nunca se é derrotado quando se faz o certo. E D. José, após o lamentável fato ocorrido, disse a todos o óbvio: quem participou diretamente no ato do aborto está excomungado. Note-se bem que ele não excomungou ninguém, quem comete tal delito já se coloca nesta situação, sofre excomunhão automática.

Mas quem já achou um absurdo que o arcebispo tivesse tentado impedir o duplo assassinato, ficou ainda mais revoltado com a simples declaração de que os participantes estão excomungados. Chega até ser engraçado ver pessoas, e até mesmo ministros, que nada têm a ver com a Igreja ou com o que ela faz de forma disciplinar a seus fiéis, ir para a imprensa rasgar as vestes e virar os olhos.

Bem, bem... Mas tudo isto ainda dará muito assunto. Desta vez o caso é que chegou em forma de comentário uma mensagem de uma senhora que se identificou como Denise. A sra. Denise não queria comentar muito; na verdade, ela queria dar uma lição de moral naqueles que foram contra o assassinato de duas crianças.

Pois é, vejamos até que ponto chegamos... Quem defende um frio e cruel assassinato é que agora vem dando lição de moral. Mas a sra. Denise, como é típico de mensagens deste tipo, ainda fez pateticamente um "post-scriptum":

"P.S. É ÓBVIO QUE ESTE TEXTO NÃO SERÁ PUBLICADO PORQUE NÃO CONVÉM À VOCÊ. MAS DORMIREI BEM AO SABER QUE SEI QUE VAI 'PENSAR' NA CAMA. POIS A CONSCIÊNCIA QDO SE FAZ ALGO ERRADO E GRAVE VAI TE ACUSAR!"
Muito pelo contrário, sra. Denise, este texto muito me convém. Considero o que a senhora escreveu como a síntese do pensamento de todos os que se dizem "humanistas" e, do alto de uma falsa moral, apontam os dedos para aqueles que foram contra este crime bárbaro.

Na verdade, é de um humanismo seletivo como o da senhora, que ninguém precisa. Sob o falso pretexto de dizer-se preocupada com a criança violentada, aceita compassivamente o assassinato frio e cruel de duas outras. Minha consciência e a de todos aqueles que se opuseram ao crime cometido vai tranqüila, pois fomos nós que queríamos a vida dos três diretamente envolvidos.

E a senhora e todos os outros que seguem tal posição, o que podem dizer? Acaso aplaudir a morte de duas crianças não é "errado e grave"? Desprezo tal humanismo, sra. Denise.

Abaixo, vai a mensagem, intercalada com meus comentários em azul.

***


MENININHA DE 9 ANOS ESTUPRADA

Estou CHOCADA e ALARMADA com o que tenho lido à respeito deste caso em especial (por este estar sendo divulgado na mídia). E mais ainda após ler isso: "Reproduzo abaixo o relato do Pe. Edson Rodrigues, que vivenciou de perto a tragédia ocorrida no Recife. A nuvem de enganação em que foi envolvida a humilde menina-mãe e seus familiares mostra bem até que ponto chega a falência moral de ongs abortistas e pessoas que estão mais preocupadas em transforma um drama de tal proporção em munição para a liberação do aborto....."

Tenho uma filha de 9 anos e acho INACEITÁVEL pensar que uma menininha (sim, é isso que ela é) esteja grávida e NÃO PENSAR na possibilidade de um aborto e REALIZÁ-LO!

Sou uma mãe que pode ser chamada de "careta" para o tempo em que vivemos, mas aceitar que minha filhinha gere 2 vidas (ou 1 que seja), correndo risco de vida (mesmo que não o tenha), não tendo a noção do ABSURDO que acontece com ela, das duas, uma: ou é BURRICE ou querer APARECER com A DOR DE OUTROS!!! Ou, pelo que se mostra aqui, falta de CULTURA, de CONHECIMENTO ou de HUMANIDADE!

[O absurdo, sra. Denise, é o estupro do qual ela foi vítima. E tão absurdo quanto é o aborto que ceifou cruelmente a vida de duas outras crianças. Chega a ser interessante como a senhora não fala da humanidade dos seres que foram destinados ao lixo hospitalar. E mais ainda: o que aconteceria com a menina é que ela passaria por uma gravidez de risco, para a qual poderia receber tratamento adequado, principalmente se pessoas como a senhora, ao invés de quererem que o aborto seja como que um remédio milagroso que cura qualquer ferida psicologica, pressionassem as autoridades para dar toda a assistência necessária à menina e à sua família. A senhora fala em "humanidade", ou melhor, em "HUMANIDADE", mas é a senhora que "humanamente" não mostra um pingo de compaixão para os bebês abortados. E é a senhora que vem se dizer sensível a "DOR DOS OUTROS"? Neles a senhora não pensa? Não, não é mesmo? Pois é muito mais fácil seguir a turba e aplaudir o assassinato duplo que foi cometido.]

Não estou aqui defendendo o direito ao aborto apenas porque "está na moda". Defendo-o NESSE CASO e continuarei a defender e fazer campanhas à isso, se preciso for, porque é algo que extrapola os níveis de RESPEITO e HUMANIDADE para com a menininha.

[Costumo dizer que quem defende o aborto mesmo que para um caso, defende-o para todos. Em última instância, o que realmente impede e horroriza no crime do aborto? A humanidade do ser abortado.

Quem faltou com respeito e humanidade para com a menina-mãe foi o estuprador. E quem faltou com respeito e humanidade para com os bebês abortados, foram todas as pessoas que acharam normal que eles fossem mortos, a senhora entre eles. Sim, sra. Denise, é a senhora, na verdade, uma abortista que quer posar de humanista.]


Quando o texto diz que "a mãe da menina se mostrava totalmente desfavorável ao aborto dos SEUS NETOS, alegando inclusive que 'ninguém tinha o direito de matar ninguém, só Deus'." lhe pergunto o seguinte:


* o senhor gostaria de ter NETOS de uma filha sua ainda criança, NESTA CONDIÇÃO?


É muito "bonitinho" (para chocar quem lê esta matéria) escrever NETOS como se a VIDA de uma criança violentada valesse menos do que as que estão sendo geradas por ela.

[A sra. Denise pergunta e eu respondo: apesar de frutos de uma enorme violência, das maiores que uma mulher pode sofrer, eu ADORARIA que meus netos vissem a luz. E olhe que estou bem longe do tempo de ter netos.


Não, sra. Denise, o padre que é o autor do trecho ao qual a senhora se refere, não escreveu "netos" porque é bonitinho. Escreveu assim porque é isto que eles são. O realmente chocante é que a senhora o negue. O chocante é a senhora pensar que a vida da menina valia mais do que a vida de seus filhos.]


* como explicaria à sua filha de 9 ANOS, GRÁVIDA, de um marginal (quem faz isso não pode ser chamado de outra forma) o que está ocorrendo com ela???? "Olha filhinha, se você engravidou foi porque Deus quis assim. Então meu benzinho você PRECISA passar pelas mudanças que irão ocorrer com seu corpinho, que ainda brinca de boneca, com muita força, porque a babaca da mamãe (ou do papai) está do seu lado te 'AJUDANDO' a passar por isso. Força filhinha, muita força................“ ELA VAI PRECISAR NÃO É???


E eu complementando:


E DANE-SE (vou usar esse têrmo mais ‘bonito’) o que acontece na sua cabecinha filha!!!!!!!!!!!!!!! Afinal, o violentado não foi VOCÊ ‘senhores’ padre e autor!!!!!


[Como explicar, a senhora pergunta? A senhora não sabe? Mesmo sendo mãe de uma menina de 9 anos também? Imagino que cada um tenha uma abordagem, mas penso que a busca por ajuda psicológica profissional e espiritual seja fundamental. Os danos podem ser minimizados.

Eis a verdade: nem eu nem o padre pouco nos importamos com o que acontece na cabeça da menina -- aliás, seja reforçado: o padre estava lá exatamente porque a situação envolvia a necessidade de apoio espiritual.

O que jamais poderá ser minimizados, sra. Denise, é a morte das crianças que a senhora aplaude. Isto não tem volta. Nem eu e nem o padre dizemos um "dane-se" para a menina, mas é a senhora que diz um "dane-se" para a morte dos gêmeos.]


* como explicaria às gracinhas de SEUS NETOS quem é o PAI deles??? Ou ainda, como ficaria a situação com sua FILHINHA??? De que forma SEUS NETOS apresentariam o PAI à festa no colégio, na cidade ou na PQP??????
"NETINHOS da vovó, vocês são filhos do meu ex-marido... NÃO É UMA GRAÇA????????????"

OU "OLHA QUE BONITINHOS... SÃO A CARA DO PAPAI MARGINAL"


OU "E AÍ FILHINHA, NÃO SÃO LINDOS SEUS FILHINHOS?? PAPAI SOUBE FAZÊ-LOS DIREITINHO NÉ?????" ENQUANTO A VOVÓ DORMIA.. OU SABE-SE LÁ O QUE FAZIA!!!


COM CERTEZA não seria assim não é mesmo??? Já imaginaram a REVOLTA de ter que revelar esta verdade no futuro à pobres crianças indefesas??? Teriam que inventar que o pai morreu, ou que o pai é o avô (pra não ser preciso contar o DRAMA), daí a mãe já não seria mãe, e sim IRMÃ (por ter a idade disso mesmo)... e mentira atrás de mentira.... Ou, senhores HIPÓCRITAS, façamos o que a regra diz: a verdade NUA e CRUA doa a quem doer!!!!


[É extremamente curioso este trecho que a sra. Denise escreve. Quer dizer então que a humanidade dos gêmeos deve estar sujeita a como eles seriam apresentados em festinhas de colégio? É isto mesmo, sra. Denise?


Sua pífia tentativa de fazer ironia perde-se em um fato, sra. Denise: a senhora está sempre procurando alternativas que não a levem a reconhecer a humanidade dos frutos da concepção. É por isto que a senhora dá voltas e mais voltas retóricas que apenas evitam lidar com a indagação fundamental: o que é o fruto da concepção?


Eu e todos os pró-vidas afirmamos que é um ser humano, o que a própria ciência confirma. E a senhora? Ah, sim... A senhora lida com questões mais importantes, tais como convenções sociais das festinhas de escola.


Esta é a verdade, sra. Denise: um ser humano é um ser humano apesar da forma como ele veio a este mundo.]


Sou eu ainda quem lhe pergunta:
Que "...nuvem de enganação em que foi envolvida a humilde menina-mãe e seus familiares..." foi esta??? Alertá-los sobre o futuro comprometido da filhinha amada deles, o senhor chama isso de NUVEM DE ENGANAÇÃO???

[A senhora Denise tem o péssimo costume de não apenas ter um humanismo seletivo, no qual ela escolhe quem é ou não humano, mas também tem o mau hábito de fazer uma leitura seletiva. Ela só entende o que quer, o que lhe serve para alimentar seu falso humanismo.


Nuvem de enganação, sra. Denise, é isto aqui, segundo as palavras do Pe. Edson Rodrigues:
"(...) um grupo de uma entidade chamada Curumins, de mentalidade feminista pró-aborto, acompanhada de dois técnicos da Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco, teriam ido ao IMIP e convencido a mãe a assinar um pedido de transferência da criança para outro hospital, o que a mãe teria aceitado."
Ou ainda:
"Ficamos então a nos perguntar o seguinte: lá no IMIP nos foi afirmado que a criança estava correndo “risco de morte” e que, por isso, deveria ser submetida urgentemente aos procedimentos abortivos para que a situação não se agravasse mais ainda. A pergunta é: como alguém correndo risco de morte poderia ter alta de um hospital. A credibilidade do IMIP não estaria em jogo se liberasse uma paciente que corre risco de morte? Como explicar isso? Como um quadro pode mudar tão repentinamente e a criança ter condições de ser removida a um outro hospital? O que teriam dito as militantes do grupo Curumins à mãe para que ela mudasse de opinião? Seria semelhante ao que foi feito com o pai, que depois de cerca de vinte e cinco minutos de conversa, a sós, com a Assistente Social, a portas fechadas, saiu da sala totalmente convicto de que a sua filha deveria abortar os seus netos, desfazendo sua opinião primeira favorável à vida das crianças? Por que ninguém no IMIP informou ao Conselho Tutelar para onde teria sido transferida a criança? Por que tanto silêncio e tanto mistério? Estariam, por acaso, fazendo algo errado que não pudesse ser conhecido?"
Entendeu, sra. Denise, ou será preciso desenhar? O "futuro comprometido" da menina não foi apagado pelo aborto de seus filhos. É absurdo, imoral e mentiroso advogar o assassinato de duas crianças sobre o falso pretexto de que a menina corria risco de morte.

Nuvem de enganação, sra. Denise, é exatamente o que fazem entidades feministas e abortistas, que alegam lutar pela proteção de direitos das mulheres, mas que todos com um mínimo de discernimento bem sabem que uma única coisa desejam: a liberação total do aborto. É por isto que um caso como o da menina de Alagoinhas deixa-lhes a boca salivando, pois são casos-limites que servem como nenhum outro para alavancar a Cultura da Morte que é a agenda de tais grupos.]


Que "...ponto chega a falência moral..." de quem???


Falência MORAL de quem escreveu o texto e ainda dos que acham tudo muito SENSATO?!?!?


[Respondo sem pestanejar: falência moral de tais entidades, falência moral de todos os que aplaudiram o aborto de duas crianças, falência moral da senhora, sra. Denise, que sob a máscara de um humanismo esfarrapado acha conveniente que duas crianças encontrem o destino final da lata de lixo hospitalar.


O padre que escreveu o texto e, eu, que o publiquei aqui, temos a CERTEZA de que a única possibilidade moralmente aceitável era a tentativa de preservar as três vidas diretamente envolvidas. E a senhora, sra. Denise? A senhora acha "sensato" matar duas crianças sob a falsa alegação que estava salvando uma terceira, não é mesmo?]


Que "... ongs abortistas..." são essas??? Só as que não distinguem as situações em que ocorreram a gravidez ou as pessoas que apóiam que o aborto seja realmente realizado por aqueles pessoas do sexo feminino que foram violentamente abusadas por “””pessoas””” do sexo masculino, sem ter que esperar que igrejas aceitem tal condição???


NÃO defendo o aborto por mulheres àtoas, da vida ou seja lá o que forem, muito menos ongs 'abortistas' que defendem essas situações absurdas...


[Como eu disse anteriormente, quem defende um tipo de aborto, qualquer tipo, o faz evitando pensar da humanidade do fruto da concepção. A senhora, que defende o aborto para uma gravidez resultante de estupro, não tem o menor direito de dizer quem é ou não humano.

Por isto, pouco importa a tentativa vã de levar a discussão para uma guerra de gênero, pois o que estamos falando é da preservação da vida humana. A senhora pode até não explicitamente não defender o "aborto por mulheres à tôa", mas o fato é que tal atitude é altamente útil para quem o defende, pois geralmente é pelos casos-limites, como o estupro, que começam as políticas relacionadas à Cultura da Morte.]

Será que são essas ongs ou outras "...pessoas que estão mais preocupadas em transforma um drama de tal proporção em munição para a liberação do aborto....." ou será que são pessoas como vocês que só querem FALAR BONITO, PRONTO E ACABADO (tipo aqueles ‘burrinhos’ que os donos tapam as laterais dos seus olhos para que não vejam o lado bonito da VIDA e que só olhem pra frente) sem pensar nas TERRÍVEIS CONSEQUÊNCIAS que uma gravidez como essa possa gerar na VIDA desta menininha????


[Mais uma vez, sra. Denise, a senhora evita tocar no ponto fundamental da discussão e o verdadeiro porquê do aborto jamais ser aceitável: o fruto da concepção é já um outro ser humano. As terríveis conseqüências psicológicas foram causadas pelo estuprador, não pelos filhos da menina-mãe. E as terríveis conseqüências para os bebês mortos, a senhora e tantos outros pensaram? Tudo bem nergar-lhes a existência? Tudo bem impedir-lhes de vir a este mundo?]


COLOQUE A MÃO NA CONSCIÊNCIA!!! NUNCA FIQUEI TÃO REVOLTADA AO LER UMA MATÉRIA ASSIM.

CHOREI SÓ DE IMAGINAR A CRIANÇA SENDO VIOLENTADA (((DESDE OS 6 ANOS, NÃO SE ESQUEÇA))) E AGUENTANDO TUDO QUIETINHA, TALVEZ POR MEDO DE CONTAR...

CHOREI DE IMAGINAR A BARRIGA DA CRIANÇA CRESCENDO...


CHOREI AO IMAGINAR ELA SENTINDO ENJÔOS QUE UMA GRAVIDEZ OCASIONA... O CORPINHO DE UMA CRIANÇA SE ALTERANDO COMO SE FOSSE DE MULHER... ELA TENDO QUE PASSAR POR UMA CESARIANA (ATÉ PORQUE NÃO TEM ESTRUTURA FÍSICA NEM EMOCIONAL PARA UM PARTO NORMAL).. E O QUE É MAIS GRAVE E INACEITÁVEL: ELA SER MÃE AOS 9 OU 10 ANINHOS DE “VIDA” ENQUANTO PODERIA ESTAR TENDO UMA VIDA ‘NORMAL’ !! QUE VIDA É ESSA MEU DEUS????


[E a senhora chorou também ao pensar nas duas crianças mortas? A senhora chorou ao pensar que estas crianças concebidas jamais poderão ver a luz? Chorou também ao pensar que estas crianças foram concebidas por uma violência e até mesmo seu direito mais básico -- o de viver -- foi-lhes negado?


O problema, sra. Denise, é que a senhora vê apenas uma única vítima e três culpados, o estuprador e os filhos. Já nós vemos apenas um único culpado, o estuprador, e três vítimas, a menina e seus filhos. E não é que a senhora advoga e aplaude que duas destas vítimas sejam penalizadas, que elas, inocentes, paguem com a própria vida pela violência cometida contra sua mãe.


Enfim, sra. Denise, por que a senhora chora por uma vítima e fica indiferente às outras?]


Que vida é essa que faz com que pessoas “bem”(?) intencionadas alimentem a cabeça de outras doentes e de marginais a violentarem crianças e saberem, por exemplo, que a Igreja ‘condena’, mas não ‘excomunga’ quem pratica essa violência. Que mesma vida é essa de pessoas que apóiam que, em um futuro próximo, a mãe-criança possa ter NOJO dos próprios filhos por olharem pra eles e lembrarem da violência que sofria, mas que por uma regra imposta ela não pode tentar, ao menos, diminuir seu sofrimento??????


[Deste mais do que confuso parágrafo da sra. Denise, o que podemos tirar é que ela se espanta que o aborto seja punido com a excomunhão e não o estupro. Pois bem, sra. Denise, o que a senhora insiste em não ver é que o aborto é a eliminação de uma vida humana, um assassinato. O estupro, por mais odiento que seja tal crime, não.


E que se note, que ambos, tanto o estuprador quanto o aborteiro e quem o ajuda, estão em situação de pecado grave, o que os impede de estarem em plena comunhão com a Igreja. E, destes dois, o aborteiro é quem sofre a excomunhão automática porque foi ele quem eliminou um outro ser humano.


E que fórmula mágica é esta que a senhora inventou de diminuir o sofrimento de quem quer que seja através da morte de outros? O sofrimento da menina poderá ser diminuído através de um intenso acompanhamento psicológico, assitência material e espiritual, e não através da morte de seus filhos.]


Se eu pudesse eu GRITARIA com toda a força que tenho com os meus pulmões à você que escreveu isso que, para mim, nada mais quer fazer que APARECER também na mídia que: o meu DEUS não é esse que o senhor segue. O meu DEUS é de bondade. O meu DEUS é aquele de Jo. 10,10 “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham plenamente” e que é citado de maneira equivocada em seu "texto“ (no do padre e que o senhor assina embaixo).


[A senhora pode gritar o quanto for, mas uma coisa que não pode mudar é que duas crianças foram trucidadas sob teus aplausos. A "bondade" que a senhora imagina em teu "deus" (este é com minúsculas mesmo) é a mesma que a leva a virar o rosto para o lado quando de frente ao assassinato de duas crianças?


Cara sra. Denise, é a senhora que interpreta as palavras de Nosso Deus equivocadamente (surpresa!), pois ao ler "todos" a senhora convenientemente entende "alguns", ou "apenas aos que a quem a sra. Denise permitir".]


A ÚNICA coisa que essa menina NÃO FEZ, e não tem feito, foi VIVER de forma PLENA.


[Então para a senhora uma vida plena é apenas aquela sem sofrimentos? Favor responder, então: Nosso Senhor Jesus Cristo teve ou não uma vida plena enquanto esteve entre nós neste mundo? Ou será que Ele, para ter uma vida plena segundo os parâmetro da sra. Denise deveria ter ajudado a abortar algumas criancinhas?


Sra. Denise, tua superficialidade teológica só perde para tua relatividade moral...]


Queria ter o coração ruim pra desejar à você, ou qualquer uma de sua família, que acontecesse o mesmo que aconteceu com ela, só porque faz parte de um grupo (louvável por sinal, qdo defende o coerente) CONTRA O ABORTO mas que não pesa os pós e contras de situações distintas.


[É o coração bondoso que a senhora tem que a leva a ignorar a humanidade dos filhos da menina e achar nada de mais que eles tenham negado seu direito à vida? É esta a bondade que a senhora tem no coração?


Minha cara senhora, tenho perfeitamente em meu pensamento os prós e contras desta situação. Independente disto, coisa que não faço é relativizar o valor da vida, principalmente de crianças inocentes.]


Vocês (o senhor e o 'respeitoso' padre 'comovido' com os fetos, não com a violentada) estão me parecendo aqueles funcionários 'robotizados' de telemarketing que leram e decoraram o textinho que tem à dizer aos seus clientes, como se as pessoas não fossem ÚNICAS e completamente DIFERENTES umas das outras. Como se as situações fossem as mesmas para cada caso. Como se só houvessem as regras, e não as exceções.


[Sra. Denise, esqueceu a senhora que quem defende o que eu e o padre defendemos não faz parte de maioria? E isto pouco me importa, pois a correção moral do que defendemos está no fato de sabermos do real valor da vida.


Realmente, cada caso é um caso... Mas vá falar para os bebês abortados que eles não eram humanos, mas, conforme o que a senhora defende, simples exceções. Vá explicar a eles que a senhora lhes nega o direito a viver porque é a senhora quem decide quem deve ou não ter este direito. Ah, sim... A senhora nem mesmo poderá jamais dirigir-lhes a palavra neste mundo exatamente porque eles foram cruelmente impedidos de estar entre nós.]


NÃO sou nem um pouco a favor do ABORTO, principalmente, nos casos absurdos da mulheres (cada vez mais jovens) que saem na noitada e transam com 2, 3 rapazes diferentes e ainda acham "legal". O que não posso suportar é imaginar o sofrimento que uma CRIANÇA da IDADE DA MINHA FILHA carregue nas costas, nesse caso na barriguinha, a ESTUPIDEZ de um MARGINAL!


[Sra. Denise, o que ela carregava na barriguinha e que foi eliminado com a complacência e o aplauso de pessoas como a senhora eram dois SERES HUMANOS. A estupidez, o crime, a culpa é do estuprador!]


Mas, pelo AMOR que vocês DIZEM ter à DEUS, aceitar e defender PUBLICAMENTE o aborto - sempre NESTE CASO EM ESPECIAL (CRIANÇA E AINDA ESTUPRADA) - sem fazer distinção da situação, me ENOJA. Assim como ENOJA 2/3 da população. Vocês deveriam ser presos junto aos estupradores (classe que é BANIDA inclusive por bandidos) por defenderem que uma CRIANÇA mantenha uma gravidez de um ESTUPRADOR.


[Espero sinceramente que a senhora entre em contato com os deputados e senadores para que a Lei Penal seja modificada para que sejam presos também os que defendem a vida. Mais uma vez, lembro como é curioso teu raciocínio no caso, pois advoga a eliminação de seres humanos assim como a prisão daqueles que levantam a voz contra este absurdo.


Pouco me importa que a maioria da população esteja do lado do que a senhora defende. Coloco isto na conta da falência moral de que falei em meu comentário ao texto do padre. E, de mais a mais, católicos já estão bem acostumados a fazer parte de minorias. Lembra a senhora que foi a maioria que, há 2000 anos atrás, gritou "com toda força": "Crucifica-o! Crucifica-o!"? E não é a maioria que hoje em dia grita: "Aborta-os! Aborta-os!"?]


Que VIDA é essa que esta menina teve até agora??? Sendo violentada desde OS 6 ANINHOS DE, PASMEM, "VIDA" (Não é isso que defendem????)?????


[Responda a senhora: o que a morte de seus filhos contribuirá para a plenitude da vida da menina? A morte cruel de seus filhos acaso apagou o sofrimento que lhe foi imposto?]


Por que vocês não fazem um COMOÇÃO geral sobre como está a cabecinha desta criança???


Por que vocês não fazem CORO para a alarmante situação de VIDAS de crianças que sofrem abuso DENTRO DE UMA IGREJA por confiarem em seus párocos???


[A senhora conhece algum padre que abusa das crianças que lhes são confiadas? Denuncie-o o quanto antes! É um favor que nos faz. Até onde sei, os Papas mais recentes atuaram fortemente para coibir situações que foram dolorosíssimas para a Igreja. E assim o foram porque foram cometidas à sua revelia, totalmente contrárias ao que é pregado.

Mas agora diga-me a senhora: já procurou ir a fundo neste assunto? Já procurou saber o quanto de anti-catolicismo estava envolvido nas denúncias que criaram o folclore dos "padres pedófilos"? Sabe a senhora que este foi um problema principalmente centrada nos EUA e que foi aproveitado por uma mídia e por uma sociedade que sempre que pode dá vazão a seus sentimentos anti-católicos?

Provavelmente, não, não é mesmo? Entendo... É bem mais fácil repetir o que ouve na grande mídia, certo? É bem mais fácil acusar falsamente toda uma instituição e seus fiéis do que ir ao encontro da verdade e entender o real problema. É bem mais fácil evitar ter de pensar no acontecido principalmente como o sintoma de uma sociedade que vai doente e colocar a culpa no suspeito usual: a Igreja. Não é mesmo?]


Por que vocês não se juntam para ajudarem as VIDAS das famílias ENGANADAS por determinadas igrejas que TIRAM tudo de material que as famílias tem (como as 'fogueiras santas' da vida) EM NOME DE JESUS, que alegam que ganharão em DOBRO tudo aquilo que der à 'JESUS', mas que não ligam a mínima qdo seus 'irmãos' estão passando fome?????


[Até onde sei, é a Igreja Católica quase que sozinha que luta contra estas igrejolas. E por que a senhora, ao invés de se juntar a esta luta, prefere ficar tentando minar a autoridade moral da Igreja utilizando como pretexto um humanismo seletivo?]


ESTOU CANSADA DE PESSOAS HIPÓCRITAS QUE FALAM ‘BONITO’ PRA APARECER MAS QUE NÃO SÃO HUMANAS!


[Bingo! É exatamente este o teu problema, sra. Denise: é que a senhora se dá alguma autoridade para dizer quem é ou não humano. É por isto que a senhora crê que está certa ao concordar com a morte de duas crianças, porque para a senhora elas não são humanas. Para a senhora elas têm menos valor que a vida de sua mãe. É a senhora que quer decidir quem deve ou não viver, quem deve ou não merecer o selo de humano. E que se danem os restantes, não é mesmo? Exatamente como as duas crianças mortas no Recife.]


Encerro meu desabafo com uma frase de seu texto:


"Acima de tudo, a Vida, dom de Deus para todos!"... em especial, para os mais NECESSITADOS!


[O triste é que a senhora escreveu este texto enorme e, em momento algum, sequer tentou olhar para as crianças trucidadas como se humanas fossem. O triste é que a senhora jamais conseguiu ter a mínima visão que o que aconteceu é que se negou a vida a duas crianças sob o falso pretexto que a mãe corria risco de morte. O triste é que sua falência moral vai tão entranhada em teu ser que quando Deus diz "todos" a senhora só conseguem ler "alguns", ou "aqueles a quem eu assim disser". O triste é que a senhora não viu nos bebês abortados como também os necessitados que a senhora diz defender.


Isto é que é triste.]


Que DEUS (o DEUS que eu sigo) tenha misericórdia de vocês por DESEJAREM - e APOIAREM - o mal psicológico à uma criança violentada.


[Se a senhora segue mesmo a Deus, saiba que Ele tem misericórdia daqueles que não distorcem suas palavras, daqueles que enfrentam o mal independente da forma com que ele se apresente, daqueles que não temem fazer parte de uma minoria para preservar Sua mensagem.


Saiba, principalmente, que Ele tem misericórdia aos que levantam a voz contra o assassinato de seus semelhantes, mesmo quando eles ainda estão no ventre de suas mães. E saiba, por último, que um mal psicológico pode ser tratado, pode ser tolerado, pode ser consolado. Mas vá a senhora tentar reverter a morte das crianças que aplaudiu... Vá senhora tentar consolá-los... Difícil, não é mesmo? Principalmente porque a senhora e tantos outros nem mesmo os encararam como humanos.]


P.S. É ÓBVIO QUE ESTE TEXTO NÃO SERÁ PUBLICADO PORQUE NÃO CONVÉM À VOCÊ. MAS DORMIREI BEM AO SABER QUE SEI QUE VAI 'PENSAR' NA CAMA. POIS A CONSCIÊNCIA QDO SE FAZ ALGO ERRADO E GRAVE VAI TE ACUSAR!


[Está publicado, sra. Denise. E devidamente respondido.

Minha consciência vai tranqüila, pois não precisei aplaudir a morte de duas crianças para que uma terceira pudesse viver. E a senhora, pode dizer o mesmo?]



5 comentários:

Andrea disse...

Muito bem, William!

Fico abismada com o humanismo dessa gente e da quantidade de ódio que eles carregam contra quem defende a vida.

Deus tenha piedade de nós!

William Murat disse...

É realmente impressionante, Andrea...

Olha... O aplauso de muita gente ao aborto de duas crianças me dá tanto nojo quanto o estupro do padastro. É curioso como muitos choram -- como a sra. Denise -- pela menina e nem estão aí para os que foram abortados.

E é para esta gente que D. José Cardoso está errado? Ele foi dos poucos que teve a coragem de se posicionar publicamente contra este absurdo.

Deus tenha mesmo piedade de todos nós!

Eduardo Araújo disse...

Andrea e William,

Mas é justamente essa hipocrisia de pessoas como essa Denise que explica essas manifestações.

Vejam só: em diversas passagens do comentário, Denise insiste que "não é contra o aborto", como para evitar um confronto direto em que ela - assim como todos os demais abortistas - sabe que não conseguiria sustentar com argumentos sólidos. O que existe de suposto amparo para o lado abortista é um apanhado de fraudes, desonestidade intelectual, mentiras e falácias, tudo temperado com o vitimismo, o "coitadismo", cego para as verdadeiras vítimas.

O fato é que Denise - assim como todos os demais abortistas - acaba se traindo ao enfatizar a condição do ser humano na barriga da mãe a meramente um "feto". É nesse momento que Denise - assim como todos os demais abortistas - transformam isso em premissa para supostamente defender coisas como "vida humana", que segundo a premissa adotada seria algo distinto do feto.

Trata-se da mesma artimanha do fajutíssimo "argumento" da clandestinidade. Parte-se da premissa de que os assassinatos de seres humanos indefesos não nascidos nessas clínicas seriam perfeitamente aceitáveis, deslocando-se assim o foco da questão para as "pobres" abortadoras que usaram conscientemente os serviços de um exercício ilegal da medicina para cometer um ato criminoso.

É esse o tipo de artimanha astuta que pessoas como Denise - assim como todos os demais abortistas - tentam a todo custo empurrar goela abaixo, vociferando a pleno ódio contra qualquer um que "ouse" interpor um óbice às suas intenções.

Deus tenha, sim, piedade de nós!

Ju L disse...

Confesso que neste caso da menininha, não soube o que pensar.

Sou contra o aborto em QUALQUER situação. Participo de atos e passeatas contra o assassinato de bebês.

Mas, nesse caso, uma criança de 36kg grávida de gêmeos, não seria condenar os três à morte?

Não aplaudo o aborto. Não gosto. Não desejo para ninguém.

Se eu corresse risco de vida para desenvolver os bebês em meu ventre, assim seria.

Mas não me sentiria confortável em condenar à morte nem os dois bebês e nem os dois bebês mais a menininha-mãe.

Sério, gente, não quero polemizar, estou realmente sem saber o que pensar.

O que posso fazer é me manifestar contra a pedofilia.

William Murat disse...

Cara Ju L:

O fato é que o pessoal médico que atendeu a menina criou uma cortina de fumaça em torno da gravidez, como se a menina estivesse condenada à morte se levasse a gravidez à frente. Nada mais enganoso... Já houve casos em que meninas deram à luz com menos idade ainda. O recorde é de uma menina peruana de apenas 5 anos. Poucos anos, creio que há uns 2, atrás uma outra menina de 9 anos, de ascendência indígena, deu à luz através de uma cesariana sem problemas.

Nada disto foi divulgado exatamente para que a opinião pública fosse envolvida nesta enganação que foi criada em Recife. Bastariam algumas semanas e um acompanhamento decente da gravidez da menina para que todos saíssem vivos. Mas o que aconteceu é que a menina foi entregue nas mãos de gente que pouco se importava com isto e seus pais foram enganados com exatamente este mesmo discurso de que ela estaria condenada à morte. Não estaria, as próprias evidências médicas históricas dizem o contrário. E, além do mais, ser médico não é ser advinho... O que foi feito pelo pessoal que atendeu a menina foi um exercício de advinhação.

Mas este caso todo serviu para vermos a força que o abortismo está ganhando entre nós, enquanto muitos ainda estão dormindo. Infelizmente, muitos, foram envolvidos pela situação que realmente é muito delicada e se deixaram levar pelo que foi erroneamente divulgado. E, depois que o aborto foi feito, a imprensa jogou todas as luzes em cima do arcebispo, como forma de desviar o foco do crime bárbaro que foi cometido contra duas crianças indefesas e totalmente inocentes do crime de seu pai.

Prezada Ju L, espero que você gaste um tempo refletindo no que foi acontecido. Só assim você poderá compreender o como este caso da menina de Alagoinha foi utilizado pelos abortistas para flexibilizar a opinião pública, que é francamente contrária à liberação do aborto.

Veja o teu próprio caso. Mesmo sendo totalmente contra o aborto, você sentiu-se abalada em tuas convicções por este caso. É exatamente isto que os abortistas querem fazer: criar dúvidas em quem é contra o aborto.

[]´s