/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

quinta-feira, novembro 06, 2008

A freira que bateu a porta na cara das "Católicas pelo Direito de Decidir"


Para sermos cristãos hoje em dia, temos que ser alertas. Alertas ao mal que nos vêm de um simples programa de TV, alertas às más amizades que muitas vezes tiram-nos do reto caminho, alerta a nós mesmos e a nossas más inclinações.

Em resumo: temos que estar sempre vigilantes.

Continue lendo:

3 comentários:

R. B. Canônico disse...

Excelente!

Quem dera posturas assim já tivessem sido tomadas a tempo! Essas CDD já estariam na rua da amargura há anos...

Rezemos, e continuemos firmes na luta!

R. B. Canônico disse...

Essa obamania éo fato mais bizarro dos ultimos tempos.

Fico impressionado com a sipatia dos brasileiros frente a essa personalidade. Simapatia do tamanha da ignorância das pessoas.

Além de ser um dos maiores abortistas do planeta, Hussein Obama vai dar uns 'tapas' na cara do Brasil em questões comerciais e agrícolas.

Uma análise rasteira do perfil de Hussein Obama faria que qualquer brasileiro ficasse receoso com sua eleição.

Abraços

PS - Seu blog tb já está na lista dos meus! Abraços!

Eduardo Araújo disse...

Rodolfo, uma boa parcela dessa adoração obâmica no Brasil deve-se à nossa mídia ultra comprometida com valores contrários ao Catolicismo.

Assim como ocorreu nos EUA, a imprensa cuidou sempre de mostrar uma imagem de Obama relacionada ao preconceito racial do qual seria vítima passada, presente e futura (neste último caso, dos eleitores "brancos" que nele não votariam). Isso ao mesmo tempo que mostrava McCain sucessor imediato do Bush, a ele intrinsecamente associado e como ele demonizado. Quando entrou em cena a Sarah Palin, o cretinismo midiático pró-Obama tratou de ressaltar os "defeitos" de carolice (?), do moralismo (?) e o "pior" de todos, ser centrada na valorização da família.

Quanto às CDD - que devem estar em êxtase na sua religião (o Abortismo) pela vitória de obama - elas tiveram aquilo que merecem da parte de nossa Igreja: o desmascaramento. Desta vez, aconteceu. Não sei como está em São Paulo, onde as diabólicas que se dizem católicas fincaram sede num prédio salvo engano de uma ordem religiosa.

Abraços a todos.