/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

quinta-feira, novembro 13, 2008

Padre marcado para morrer


Assim é o mundo maravilhoso de Obama! O Padre Frank Pavone, um dos mais proeminentes líderes pró-vida dos EUA, recebeu ameaça de morte no dia seguinte à eleição do messias abortista norte-americano.

Em tradução livre, eis o texto da ameaça, que pode ser lida no blog do próprio padre, que se encontra na página da organização "Priests for Life", da qual ele é diretor:

"Eu prevejo que haverá mais terrorismo anti-aborto causado por esta eleição. PREVEJO TAMBÉM QUE DESTA VEZ ISTO SERÁ RESPONDIDO NA MESMA MOEDA POR CONTRATERRORISTAS PRÓ-ESCOLHA [eufemismo para pró-aborto], que produzirão ataques similares a conhecidos pró-vida. Padre Frank será um alvo natural dos contraterroristas pró-escolha.

Devido a isto, aconselho a você, Padre Frank, que, caso tenhas conhecimento de qualquer atentado a uma clínica abortiva, saia da cidade. Tire férias no estrangeiro. Vá visitar o Vaticano. Se houve algum ato de terrorismo anti-aborto, sua vida não estará segura nos EUA.

Boa sorte."


Segundo o padre, outros líderes pró-vida receberam ameaças semelhantes.

O texto da ameaça alega que atos de violência por parte dos pró-aborto são uma forma de contraterrorismo, o que é absurdo. Em primeiro lugar porque o movimento pró-vida não é de forma alguma terrorismo, sendo reconhecido por sua resistência pacífica. O próprio Pe. Frank dá o número de mais de 70000 prisões de ativistas pró-vida entre os anos de 1987 e 1994, principalmente em piquetes e vigílias feitas em frente a clínicas abortivas. Destas 70000 prisões, nenhuma delas foi devida a algum ato violento.

Em segundo lugar, um tal raciocínio quer ganhar legitimidade misturando o legítimo movimento pró-vida com os atos de uns poucos loucos que nem mesmo tem conexão com o movimento, como o próprio Pe. Frank escreve. É como querer justificar um possível assassinato do padre devido aos atos de uns poucos loucos e que nada têm com o movimento pró-vida. Fica claro que uma tal justificativa é inócua e que apenas serve de pretexto para uma futura violência.

Mas qual a surpresa? Que esperar de quem é capaz de assistir ao assassinato frio de um ser humano indefeso e ainda aplaudir? Que esperar de quem dá ajuda, sorrateiramente, a uma verdadeira limpeza étnica, recebendo dinheiro manchado pelo racismo? Que esperar de quem é capaz de assistir por 10 horas seguidas a um bebê lutando por sua vida e nada fazer, apenas esperando sua dolorosa morte?

Surpresa nenhuma, é apenas mais do mesmo. Preparemo-nos, pois virão dias difíceis.

2 comentários:

palavrasapenas disse...

Amigo William,

Já não era sem tempo. Eis surgindo o "novo martírio".

Paz e Bem!

William Murat disse...

Meu amigo Fabrício:

E isto é só o começo do Obama World...

Que Deus nos dê auxílio e coragem como dá a Pe. Pavone.

Oremos!

[]´s