/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

sábado, outubro 09, 2010

Afinal, onde se meteram os favoráveis ao aborto?


A força com que o tema do aborto tomou de assalto esta eleição presidencial demonstra que, ao contrário do que deseja o PT e assemelhados e boa parte da grande mídia, a população brasileira está muito preocupada com questões morais.

Elio Gaspari, ao chamar de "baixaria" que tal tema apareça e que se mostre decisivo, demonstra o total descolamento de muitos formadores de opinião sobre o pensamento do brasileiro médio. Além, é claro, de mostrar uma tentativa idiota de direcionar o debate.

Da mesma forma, causa surpresa a muitos que inúmeros brasileiros não caiam nas armadilhas de marqueteiros que pintam o Brasil como país de primeiro mundo, varrendo para debaixo do tapete o aumento geometricamente progressivo da corrupção, as tentativas de cerceamento de liberdade de expressão, a demonização da oposição, etc.

Mas no meio de todo este barulho e versões sobre tais e tais fatos que inundam a imprensa, é de se notar o completo silêncio de feministas e abortistas.

Durante anos e anos, sempre que o tema aborto vinha à tona, invariavelmente aparecia uma feminista "católica" falando as maiores besteiras em sua vã tentativa de combinar cristianismo e abortismo. Durante muito tempo, inúmeras ONGs revezavam-se nas revistas e jornais defendendo o aborto e mostrando-se preocupadíssimas com o -- como elas fazem questão de enfatizar -- "destino das mulheres mais humildes".

Onde está esta patota agora? Será que seus números de telefone subitamente desapareceram das agendas de tantos jornalistas que sempre lhes procuravam? Será que seus endereços de e-mail foram desativados? Qual será, afinal, o motivo para não haver atualmente um único abortista que apareça em revistas e jornais?

Onde está o ubíquo Dr. Thomaz Gollop, sempre tão presente em reportagens favoráveis à descriminalização do aborto?

Onde está a ongueira Dulce Xavier, da ONG "Católicas pelo Direito de Decidir", que não dá uma declaraçãozinha para defender a "catolicidade fervorosa" (by Gabriel Chalita) de Dilma Rousseff?

Quem deu uma olhada no último editorial do site das senhoras decididas sabe bem que elas têm muito o que falar sobre a questão, que estão engolindo um sapo-boi por dia a seco. Por que os jornais e revistas estão negando-lhes espaço desta vez?

Durante anos tivemos de ouvir e ler de feministas e abortistas que o aborto deveria ser discutido pela sociedade. Era um blablablá interminável. Por que será que agora não aparece um acadêmico, uma feminista/abortista para enfrentar a opinião pública, que se mostra esmagadoramente contrária ao aborto, e defender Dilma Rousseff?

Onde estão as "Católicas pelo Direito de Decidir" para reclamar de Dilma e seus marqueteiros, que chegaram ao cúmulo de divulgar uma foto do batizado do neto da candidata para mostrar seu "catolicismo fervoroso"?

Quem lê o site das senhoras confusas nota um samba de uma nota só: laicismo do Estado. Por que atualmente não aparece uma delas para, de peito aberto, dizer que é um absurdo que Dilma tente se fantasiar de católica para angariar votos?

Eis um pequeno trecho do que vai no site das senhoras:
"De toda forma, o que está em jogo de fato no atual debate não é o aborto e sim a democracia. Não está havendo um debate social sobre o aborto, mas sim uma utilização escusa do tema, que está sendo realizada de forma maliciosa, astuta e eleitoreira. Trata-se de um jogo sujo, no qual mais uma vez a vida das mulheres serve como moeda de troca!"
Uau! Será que uma tamanha indignação não encontra espaço na mídia? Que tal um jornalista ir lá perguntar a elas se elas acham mesmo se Dilma Rousseff é contra o aborto? Ou melhor: que tal perguntar o que elas acham de Dilma Rousseff ser contra o aborto? Seria fantástico ler a resposta a esta pergunta!

A verdade é que os abortistas saíram de cena porque é de seu interesse. Eles toleram bem a construção de uma Dilma "católica fervorosa" feita por Gabriel Chalita e pelo PT porque isto lhes trará dividendos no futuro. Sabem bem que o momento é delicado e que uma declaração de que Dilma e PT sempre apoiaram sua causa poderia pôr muita coisa a perder.

É por isto que petistas como a professora Marilena Chauí, como trazido pelo jornalista Reinaldo Azevedo, ao invés de defender que Dilma Rousseff sempre se declarou favorável ao aborto (esta é a verdade!) houve por bem atacar que o tema seja debatido durante a campanha. Se a verdade lhes é desfavorável, eles pegam um outro caminho, não é mesmo?

A verdade é que este pessoal está nem aí para a população. Só lhes importa ganhar votos e nada mais. É exatamente por isto que a revolta de feministas como as "Católicas pelo Direito de Decidir" ficarão bem guardadas em seus sites, para só saírem ou na marcha da vitória ou para atacar um eventual governo de José Serra.

Enquanto nada está decidido, os abortistas aceitam uma posição que lhes é praticamente desconhecida, que é a de ficar longe dos jornais e das revistas. Aceitam, sim, mas vão rangendo os dentes, afiando as garras, destilando o veneno, esperando a oportunidade que lhes será dada no futuro.

2 comentários:

Eduardo Blooudeear disse...

Interessante suas posições defendendo a criminalização do aborto, convido você para ler o meu artigo sobre o assunto:
http://resumoesdanet.blogspot.com/2011/01/aborto.html

William disse...

Meu caro:

Sugiro fortemente que vc procure se informar mais sobre o assunto, pois teu artigo é de um despreparo impressionante.

É um emaranhado de informações falsas e conclusões absurdas. E só.

Acredito que teu caso não seja de má-fé. Quero acreditar nisto e exatamente por isto peço a você que procure entender melhor o assunto.

Você chega ao cúmulo de chamar de "argumento" um texto de roda a internet há anos e que tem unicamente valor emocional. Pode ter efeito, mas não passa por argumento e, ainda assim, vc o encara como tal.

Ou seja, vc criou uma caricatura do que é o movimento Pró-Vida em tua cabeça e chama de argumento coisas como "Inicialmente o embrião parece um girino". Vc chega ao ponto de dizer que o partido político da IURD é contrário ao aborto. Basta vc procurar saber qual a posição de Edir Macedo para entender o tamanho da besteira que vc escreveu.

Como eu disse acima, prefiro acreditar que vc não age de má-fé, mas, antes, por falta de informação.

Espero de coração que vc busque mais informações sobre o assunto.

[]'s