/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

domingo, janeiro 20, 2008

Dulce quer debater!


Ainda segundo uma entrada na página do "Mulheres de Olho", eis o que disse Dulce Xavier sobre o fato de sua declaração ter sido retirada do DVD da Campanha da Fraternidade de 2008:

"É uma pena que mais uma vez o setor conservador fundamentalista não permita o debate. O grande problema é a ausência do debate. Eu acho que numa democracia é importante que todas as pessoas possam veicular o seu pensamento. Isso tem que ser considerado e veiculado o pensamento de todos os grupos. Uma campanha da fraternidade com apenas um lado da questão é um imposição.”

Dulce Xavier quer debate! Ela quer debater o quê, exatemente? A possibilidade de a Igreja dizer "Amém!" para sua agenda legalizadora do aborto? A possibilidade de a Igreja dar um "Ok!" para que crianças sejam jogadas fora devido à simples vontade de suas mães? Ou será que ela quer debater um fato que a própria ciência já deixou bem claro: que o fruto da concepção é um ser humano único?

Dulce Xavier quer debater! Mas em nada se importou em, junto com o Sr. Nelson Tyski, longe dos olhos de boa parte da alta hierarquia da CNBB, gravar declaração a ser inserida em um DVD que serviria a uma campanha contra o aborto.

Pois é... Dulce Xavier quer debate, mas o quer apenas segundo seus próprios termos, desde que a voz dela seja a que fala mais alto. Ela cobra transparência, democracia, etc., mas apenas segundo seus parâmetros. Ela diz que "numa democracia é importante que todas as pessoas possam veicular o seu pensamento", querendo, com isto, dizer que é seu direito declarar o que quer que seja em um DVD da CNBB.

É muito peculiar a visão de Dulce Xavier sobre democracia... Tira-se de suas palavras que qualquer coisa que a CNBB vá publicar sobre o aborto tem antes que passar pelo crivo das CDD. Este é o mundo cor-de-rosa da feminista Dulce Xavier! Para ela, a CNBB é muito má quando retira sua declaração do DVD, mas e a recíproca? Há algum espaço para a CNBB ou quem quer seja dizer algo que não esteja concordância com o pensamento das CDD em sua página ou em suas publicações? Não mesmo... E Dulce Xavier incomoda-se com isto? Também não.

E depois ainda quer ser levada a sério.

Mas Dulce Xavier ainda vai mais longe em sua indignação: "Uma campanha da fraternidade com apenas um lado da questão é um imposição." Aqui Dulce Xavier dá uma de "Poliana" e pensa que tudo o que os outros fazem diz respeito a ela, que ela e sua agenda são os parâmetros segundo os quais o mundo gira.

Aprenda, Dulce: a Campanha da Fraternidade de 2008 foi feita para lutar exatamente contra as idéias que a senhora e seu grupo inundam diariamente a mídia. Deu para entender ou precisaremos desenhar?

E não é imposição coisa nenhuma. O objetivo da Campanha da Fraternidade de 2008 é conhecido até por qualquer criancinha. O absurdo seria deixar uma militante pró-aborto participar de um DVD da mesma campanha. Curioso... Não se soube de Dulce Xavier protestar, indignada, quando o governo Lula alijou a CNBB de participar da infame Comissão Tripartite que estudaria a "revisão" (eufemismo para "vamos dar um jeito de liberar!") na legislatura sobre o aborto no Brasil, mas agora ela recorrer a qualquer espaço na mídia para posar de coitadinha.

Pior ainda do que Dulce Xavier querer ser lavada a sério, é ela mesma se levar a sério.

Um comentário:

Wagner Moura disse...

Fico satisfeito de que esse blog seja um auxílio seguro para digerirmos fatos como esses. Dulce não tem voz nem no grupo dela... Curioso.