/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

quinta-feira, janeiro 31, 2008

O Rei pergunta: "CNBB, por que não te pronuncias?"


Não bastasse o silêncio costumeiro, agora temos de enfrentar casos de notas mutantes vindas da CNBB.

O texto do preâmbulo da nota ontem (30/01/2008) era o seguinte:

"Comissão da CNBB afirma que pílula do dia seguinte é moralmente inaceitável quarta: 30 de janeiro de 2008 Em nota assinada pelo bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Antônio Augusto Dias Duarte, nesta quarta-feira, 30, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB condenou a pílula do dia seguinte, classificando-a como "moralmente inaceitável". Médico e membro da Comissão, dom Antônio explica que a pílula do dia seguinte é abortiva. "Trata-se de um recurso usado para interceptar o desenvolvimento do concepto após uma relação sexual dita "desprotegida", isto é, quando não foi usado um método anticoncepcional e se supõe que houve uma fecundação e o início de uma gravidez", explica a nota. Na nota, a Comissão manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife que recorreu à justiça contra a decisão da Prefeitura de Olinda de distribuir a pílula do dia seguinte nos dias de carnaval. Abaixo, segue a íntegra da nota."

Hoje (31/01/2008) o texto está assim:

"Nota do médico e bispo auxiliar do Rio de Janeiro sobre a pílula do dia seguinte quarta: 30 de janeiro de 2008 O médico e bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Antônio Augusto Dias Duarte, emitiu uma nota, nesta quarta-feira, 30, na qual afirma que a pílula do dia seguinte é abortiva e, por isso, “moralmente inaceitável”. Membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom Antônio explica que a pílula é “um recurso usado para interceptar o desenvolvimento do concepto após uma relação sexual dita “desprotegida”, isto é, quando não foi usado um método anticoncepcional e se supõe que houve uma fecundação e o início de uma gravidez”. Na nota, que tem a concordância da CNBB, dom Antônio manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife que recorreu à justiça contra a decisão da Prefeitura de Olinda de distribuir a pílula do dia seguinte nos dias de carnaval. Abaixo, segue a íntegra da nota."


Resumindo, a "Comissão da CNBB afirma (...)" tornou-se "Nota do médico e bispo auxiliar (...)". O que era a palavra de uma Comissão envolvida diretamente com o assunto tornou-se apenas a palavra de um bispo que é membro desta Comissão.

E também o "a Comissão manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife" transformou-se em "Na nota, que tem a concordância da CNBB".

A CNBB concorda com o que mesmo? Com o conteúdo da nota? Ou apenas com o apoio ao bispo, sem entrar em detalhes quanto ao conteúdo?

Por que o presidente da CNBB não assinou a nota? Não é este um assunto relevante, que mereça atenção redobrada? Não estamos falando de vidas inocentes que irão parar em privadas? Não estamos falando de uma política desprezível implementada por um governo execrável?

Como bem lembrado por Wagner, quando do caso do Bispo de Barra-BA, Dom Cappio, assinaram o presidente, o vice-presidente e o secretário-geral da entidade. Esta tropa toda para eufemisticamente chamar de "
jejum e a oração" ao que era claramente uma greve de fome, um atentado contra a própria vida.

Será que a questão não é ao menos igualmente importante?

"CNBB, por que não te pronuncias?"

3 comentários:

Wagner Moura disse...

Murat, deixe-me refazer aqui apos a imagem do rei questionando a CNBB! :D Mas, veja... E' uma duvida cruel... As vezes sou tentado a achar que seja melhor ela ficar caladinha mesmo. Sabe la do Deus esta nos poupando.

Fabrício L. Ribeiro disse...

Será que existem na CNBB bispos católicos?

Paz e Bem!

Gabriel disse...

Olá Murat!

Venho acompanhando seu blog graças ao Wagner, parabéns pela cobertura desta luta, os blogs católicos estão realmente fazendo um bom trabalho de investigação e denúncia!

Gostaria, se fosse possível, que você ajudasse a divulgar duas campanhas da RCC, que estamos correndo contra o tempo para fazer uma divulgação massissa até o início da Campanha da Fraternidade: o "1 milhão pela vida" e o "40 dias pela vida".

O primeiro é um abaixo-assinado contra o PL 1135/91, disponível nos links www.universidadesrenovadas.com/aborto (versão on-line) e http://www.universidadesrenovadas.com/abaixo_assinado_aborto.doc (versão para impressão, c/ endereço para envio). Esperamos alcançar 1 milhão de assinaturas ainda neste carnaval, mas para isto precisamos de uma divulgação massissa!

O segunto ato é uma Campanha de Oração e Jejum pela vida, a ser realizada nos 40 dias da quaresma. As informações estão no link: http://www.universidadesrenovadas.com/campanha_vida.asp.

Grande abraço, que Deus o abençoe!

Gabriel

(qq dúvida pode deixar um comentário no meu blog...)