/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

domingo, janeiro 23, 2011

Enquanto uns matam, outros acolhem

Infelizmente, por absoluta falta de tempo, não pude traduzir e legendar o vídeo abaixo.





Neste é mostrado o caso de um vietnamita, Tuong Phuoc Phuc, que cuida de mais de 50 crianças. Destas, apenas duas são seus filhos de sangue; o restante, não fossem os cuidados deste santo dos nossos dias, teriam o triste destino de tantos bebês abortados.

Tudo começou quando a esposa de Tuong passou por dificuldades no parto. Rezando, Tuong pediu a Deus pela vida de sua esposa e filho e Lhe disse que faria algo de bom pelos outros.

Quando sua esposa estava em recuperação do parto difícil, diz Tuong que viu várias mulheres grávidas entrando na sala de cirurgia e de lá saindo sozinhas. Em seguida ele viu os médicos jogando os bebês no lixo hospitalar.

"Sou católico e respeito o espírito dos seres humanos." -- palavras de Tuong sobre sua motivação. "Então solicitei se eu não podia levá-los comigo."

Isto levou Tuong a usar suas economias para comprar um pequeno terreno onde ele pudesse enterrar os corpos dos bebês abortados. Atualmente, já são mais de 9000 pequeninos túmulos, onde os bebês abortados têm o mínimo de dignidade na morte, a mesma dignidade que lhes foi negada em vida.

Muitas mulheres começaram a ir ao cemitério para rezar e outras, grávidas, começaram a procurar a casa de Tuong buscando abrigo. A partir daí algumas mulheres que não se sentiam, por um motivo ou outro, em condições de criar seus filhos, deixavam-nos com Tuong.

Várias destas crianças, após passarem um período de tempo sob os cuidados de Tuong, são recuperadas por suas mães. Não fosse o abnegado trabalho do vietnamita, sabemos bem o que aconteceria com tais crianças.


5 comentários:

João Soares disse...

Impressionante, peço vos permissão para colocar em meu blog.
Grande abraço!

William disse...

Caro João:

PAX!

Fique à vontade.

[]'s

Karina Bodart disse...

"Um santo dos nossos dias" - amém! Deus os abençoe.

André Luiz de Souza Serrano disse...

Prezado William, me faltam palavras para poder dissertar a respeito da bárbarie que é o aborto e a dimensão que esta prática toma a cada dia.
Mas surge, no meio desta realidade trágica, um cristão a nos dar um belíssimo exemplo de abnegação e de valorização da vida.
Que Deus o abençoe...

André Luiz de Souza Serrano disse...

desculpe pela grafia errada:
quis dizer barbárie e não "bárbarie".