/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

sábado, janeiro 02, 2010

4 anos e uma resposta



4 anos de Blog!

Confesso que não sou muito de comemorar certas coisas e lembrar aqui que este blog faz hoje 4 anos é coisa que não me deixa nada feliz.

E por que isto é assim? Simples: porque eu queria que este blog não existisse. Eu queria que não houvesse a necessidade de alguém ser "contra o aborto", que o aborto fosse por todos reconhecido como uma das coisas mais hediondas na face da Terra, o que ele é realmente.

O assunto aborto não é nada fácil. Quem lida com isto, por pouco que seja, sente o desgaste, sente o cansaço em tratar de um assunto que envolve um crime hediondo que vai sendo tomado por boa parte da sociedade como coisa corriqueira, como coisa sem importância, trivial. E isto em um país como o Brasil, onde a ampla maioria da população é radicalmente contra o aborto...

O blog tem 4 anos, mas o assunto vai em minha cabeça há muitos anos mais. Não foram poucas as vezes em que senti meu estômago literalmente embrulhar-se diante de notícias, de textos e de imagens cujo único objetivo é fazer um crime horrível passar como algo virtuoso.

Graças ao Senhor Deus, não poucas vezes também pude ler e ver coisas que fizeram meu coração aquecer-se e ter as esperanças renovadas. Histórias de mães e pais heróicos, que, inspirados pelo Deus Altíssimo, tomaram atitudes que chocam o mundo e desmontam por completo as teses de tanta gente que se quer o ápice da racionalidade, gente que ao final apenas se mostra a favor de uma farsa, uma farsa que deixa atrás de si um rastro de sangue de inocentes.

Não exagero ao dizer que jamais vi um único argumento abortista que fosse digno de se chamar realmente de argumento. O emaranhado de "motivos" econômicos, pessoais, médicos, filosóficos, etc. que são a base da justificação abortista para o aborto jamais se sustenta por 2 segundos no ar. Nunca puderam e nem poderão enfrentar o fato de que o fruto da concepção é já um ser humano como cada um de nós e qualquer atentado direto à vida deste inocente é um ato maligno em sua essência.

E é exatamente por não conseguirem enfrentar tal fato que os abortistas especializaram-se na mentira, no subterfúgio, na enganação, nos métodos que vemos expostos na mídia amplamente identificada com a causa abortista, nos métodos que os nossos governantes utilizam amplamente para driblar a vontade de nossa população em relação ao aborto.

E é também por não conseguirem lidar com a força do argumento pela vida, o único que admite defesa, que tanta gente escreve para mim com xingamentos, com pragas, com ofensas pessoais. Mas há também aqueles que preferem uma via mais civilizada, mas que, na verdade, esconde o horror.

Desnecessário lembrar que cada regime homicida, cada iniciativa humana que acabou descambando para o aniquilamento do próximo como forma de "libertação" do próprio homem teve também seus teóricos, seus racionalizadores. São aqueles que se não mancharam suas mãos diretamente no sangue de inocentes, criaram as condições necessárias para que o horror tivesse as proporções que pudemos ver no século passado.

É mais ou menos assim que penso de quem se diz a favor da descriminalização do aborto, mesmo que a título meramente teórico, como um comentário que recebi na postagem "Bebereis o sangue de nossos abortos":
"Assim como na religião existem fanáticos irracionais, nesse caso também.

Sou a favor da discrimnalização do aborto, e da discussão do assunto.

Sem mais."
E como este blog foi criado exatamente para responder a tais tentativas de "discussão" do aborto, tentativas cujo fim último é exatamente o mesmo de vândalos que picham entidades assistenciais voltadas às mulheres grávidas, segue abaixo em azul a resposta a este comentário aparetemente civilizado.

Não, não e não…

O acontecido em Madrid não é obra de algum grupelho feminista/abortista que mostra-se radicalmente oposto ao que propõe uma outra parte pacífica do feminismo/abortismo oficial. Não mesmo!

O radicalismo de tal ação é meramente a evolução natural de um discurso feminista/abortista que vem sendo burilado ano a ano, cuja radicalidade irracional só cresce. E tudo isto aos olhos da mídia e dos intelectuais que não levantam uma pena para denunciar tais acontecimentos.

Por outro lado, não sei por que o comentarista tenta opor "fanáticos religiosos" a "fanáticos abortistas", como se a notícia tratasse de defender uns e condenar outros, ou como se quem é contra o aborto o seja sempre por motivos religiosos. Crer em tal coisa é exatamente cair na teia dos discursos abortistas, que procuram demonizar quem lhes faz oposição.

Ninguém no movimento Pró-Vida leva a sério quem com o pretexto de salvar vidas inocentes admite o uso de violência. Isto seria uma contradição às propostas Pró-Vida.

Mas e o contrário acontece? Qual foi a entidade feminista/abortista que veio a público condenar o vandalismo contra a "Fundación Red Madre"? Nem adianta esperar sentado, pois para um grupo que defende uma violência sem par como o aborto, umas paredes pichadas com ameaças é coisa bem pequena.

O comentarista diz-se a favor da descriminalização do aborto e de sua discussão, como se isto o afastasse completamente das radicais que vandalizaram a entidade espanhola. Na verdade o que temos, na eventualidade da descriminalização do aborto, é que importa bem pouco quem pichou ou não paredes se crianças inocentes virarem meros dejetos hospitalares.

Importará bem pouco quem pegava em pincel e tinta, quem pegava em bisturis ou quem ficava de fora aplaudindo e dando apoio. Todos contribuíram com alguma parcela para o mal.
Mesmo as palavras mais suaves favoráveis à discussão do aborto escondem a semente do mal. Enquanto isto, eu ficarei por aqui enquanto der e o Senhor Deus ajudar, e sempre esperando que este blog acabe por falta de assunto.

6 comentários:

Antonio Augusto disse...

PARABENS!!! Muitos anos de vida.

Os textos aqui postados são de boa qualidade e bastante reveladores. Sigo o blog e gosto muito do que encontro aqui.

Um abraço a todos e que as pessoas possam agir com mais responsabilidade com essa questão do aborto onde quem no final das contas fica arrasada, se traumatiza e compromete a sua vida é a própria mae diante da leviandade com que toma certas decisões e cessa a vida que é sempre muito sagrada e na sua consciencia ela sabe bem disso.

Abraços

Daniel Volpato disse...

Parabéns pelo blog, meu caro. Acompanho com uma certa frequência embora não tanto quanto gostaria, mas sempre vejo notícias e artigos muito interessantes.

Deus abençoe tua luta e todo o tempo investido pela defesa da vida.

Se Deus quiser, quem sabe não seja preciso comemorar o aniversário do ano que vem!

William Murat disse...

Meu caro Antonio Augusto:

PAX!

Agradeço tuas gentis palavras!

Que o Senhor Deus nos ajude nesta luta.

[]´s

William Murat disse...

Caro Daniel:

PAX!

Muito obrigado pelas palavras, pelo incentivo!

Tenhamos esperança que no futuro o aborto seja assunto do passado.

Difícil? Sim! Mas "Para Deus nada é impossível".

[]´s

Matheus Cajaíba disse...

Um dia, Deus queira!, não haverá mais comemoração de aniversário deste blog.

Um abraço, amigão.

William Murat disse...

Assim seja, meu caríssimo amigo!

[]´s